Os dados em BI vêm auxiliando empresas em tomadas de decisões inteligentes e bem embasadas em informações. Elas são coletadas, quantificadas e qualificadas — gerando conteúdo eficaz para avaliação de resultados e planejamento de ações.

O Business Intelligence atua como ferramenta muito útil e potente em vários momentos, como na diminuição de trabalho manual — caro e demorado. Outro ponto importante no qual o BI influencia diretamente é na identificação de tendências de mercado e consumo. Essa leitura salva uma organização de prejuízo ou perda de fatia de público e gera visão de novas oportunidades.

Nas ferramentas de BI, como o Pentaho, por exemplo, a análise de dados é bem conceituada, em tempo real, com histórico e integrada a toda a amplitude do negócio. A geração, o gerenciamento e o compartilhamento são facilitados, o que não ocorre com a prática de manter relatórios — já obsoleta.

Veja agora o exemplo de três empresas e uma seleção de futebol que alcançaram seus objetivos extraindo o melhor da ferramenta:

RGM Educação e Marketing e a avaliação dos clientes

O desenvolvimento, as postagens, impressões e revisões de respostas geravam trabalho manual em excesso e gastos desnecessários. Porém, os gestores não tinham ciência de que precisavam do Business Intelligence até o momento.

Além de todo o trabalho voltado ao cliente, internamente se tinha a mão de obra de digitação de resultados em sistemas internos. Depois disso, era feita a tabulação e o cruzamento de informações relevantes.

A solução foi uma interface web de gerenciamento de avaliações. A plataforma perfila o público, colhe as necessidades deles, concentra cadastros e relaciona os dados. Os processos passaram a ser mais rápidos e precisos. A automação ainda diminuiu em muito o custo necessário em mão de obra para a obtenção de resultados.

Gasmig e a análise financeira

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) enfrentou muitos problemas com a demora em emitir relatórios de faturamento e vendas. E os contratempos não eram limitados a documentos segmentados. Relações gerais também eram obtidas com muita dificuldade e demora.

As análises de receitas e de mercadorias vendidas eram solicitadas à área financeira. O setor necessitava de um profissional de TI da empresa para emissão, que tinha de fazer a segmentação manualmente.

A Gasmig adotou o BI em servidor com ferramentas de criação e gerenciamento de banco de dados. A economia e a otimização  de processos ficou por conta da rapidez e da facilidade de obter informações com qualidade, inclusive em tempo real.

A companhia deixou de desperdiçar mão de obra. Passou a finalizar ações mais rapidamente, tomar decisões bem embasadas e se adiantar a oportunidades.

Grupo Luz Saúde e os indicadores de negócios

A corporação portuguesa possui uma rede de unidades hospitalares, inclusive fora de Portugal. Diante dessa amplitude de negócios, a necessidade era integrar e melhorar colheita, análise, partilha e monitoramento de dados.

A adoção do BI teve com uma das principais metas a fundamentação em informações claras para momentos decisivos. A crescente demanda de elementos — vindos de vários lugares distintos — a serem avaliados também evidenciou a necessidade de implementar a solução.

A capacidade de análise de indicadores não foi apenas acelerada, mas aumentada em quantidade. As auditorias internas tornaram-se mais precisas. E a identificação de oportunidades, por conta de dados de diferentes locais, passou a somar nos resultados do grupo.

Alemanha e a vitória na Copa do Mundo 2014

A última edição do maior evento esportivo do mundo trouxe o assunto Business Intelligence à tona em nível mundial. E mostrou que a solução pode auxiliar em alcance de objetivos nos mais diversos ramos de desempenho e busca de resultados.

O software desenvolvido na Alemanha analisava dados extraídos numericamente, como velocidade de corrida e número de passes. Também escaneava comportamentos individuais de atletas e do time como um todo.

Os relatórios foram passados aos jogadores e à comissão técnica. Com a utilização deles, o grupo preparou-se para executar jogadas mais rapidamente, envolver as outras equipes e reter a bola. O resultado? O mundo todo viu e o Brasil sentiu na pele.

Você conhece mais algum caso de sucesso com o BI ou tem o seu para contar? Deixe nos comentários.

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.