Com o mercado de inteligência de informação em alta, e empresas brasileiras se adaptando às novas ferramentas disponíveis na área, principalmente ao que se refere à Big Data e analytics, empresários e gestores já perceberam a necessidade de se adequarem a essa realidade.

A quantidade de informações que hoje temos a disposição nos ajuda a tomar decisões mais objetivas, e surge na rede de forma acelerada e constante. Saber filtrar esses dados para se diferenciar no mercado é o que fará uma empresa se destacar de seus concorrentes. Além de grandes corporações, é importante que pequenas e médias empresas utilizem Big Data no Brasil.

Além de auxiliar a tomada de decisões de forma simples, utilizar Big Data torna a administração mais fácil, pois o gestor terá informações precisas sobre seu negócio, e pode criar soluções práticas para aumentar seu lucro ou diminuir seus custos operacionais. Esse é o conceito básico de Business Intelligence utilizado como diferencial competitivo.

À vista de tudo isso, elaboramos um post sobre cases do uso de Big Data no Brasil que você tem que conhecer. Confira!

Big Data no Brasil: realidade presente em diversos setores

Vamos apresentar três cases de empresas que utilizaram Big Data no Brasil que te ajudará a entender a finalidade dessa metodologia. Confira!

1 – Grupo Pão de Açúcar

O grupo varejista Pão de Açúcar conta com um sistema de relacionamento com o cliente focado em fidelização de seu público externo. O Clube Extra, nome dado a esse sistema, visa não só a aproximação dos clientes como também de fornecedores. De forma resumida, o cliente cadastra no programa Cliente Mais da rede de supermercados, onde ele pode acumular pontos através de compras online ou nas lojas físicas. Os dados obtidos através dessa plataforma são analisados para relacionar os clientes com suas marcas ou produtos favoritos ou mais consumidos.

Do ponto de vista administrativo, esse tipo de solução de Big Data serve também para otimizar o nível de estoque, já que a empresa saberá antecipadamente quanto se deve comprar de determinado item, considerando os custos de manter esse estoque, ou o prejuízo que acarretará caso o mesmo falte nas prateleiras.

2 – Supermercados Super Nosso

Assim como o Grupo Pão de Açúcar, a rede de supermercados mineira Super Nosso já colhe resultados positivos após investir em Big Data para um melhor relacionamento com seu público através da web. Em março desse ano a empresa investiu R$ 1.000.000,00 na reformulação de sua loja virtual após o crescimento de 36% nas vendas da empresa através do programa Super Nosso em Casa, frente ao crescimento de 0,7% no setor supermercadista em Minas Gerais no ano de 2015.

No cenário nacional a diferença também é grande, já que o setor de e-commerce no Brasil cresceu 15% no mesmo período.

3 – Ministério da Justiça

Saindo do setor privado, empresas governamentais também podem e devem utilizar Big Data. O Ministério da Justiça do Brasil conta um banco de dados extenso, que contém mais de 1 bilhão de registros. Para analisar todos esses dados os profissionais da estatal contam com a ajuda de Watson, um supercomputador da IBM construído para coletar e processar petabytes de dados em milésimos de segundos. O MJ utiliza o Big Data para identificar ações ilícitas, principalmente as que se relacionam à lavagem de dinheiro.

Big Data no Brasil: investimento com ótima possibilidade de retorno

Todo investimento em Business Intelligence e Big Data, feito de forma correta e bem planejada, retorna em lucros para sua empresa, seja através de captação de novos clientes, na retenção dos que já existentes ou na manutenção de custos operacionais. O empresário brasileiro precisa modificar a forma como vê essa realidade, já que a previsão é de que até 2020, o uso de Big Data no Brasil já atinja 75% das empresas.

E aí? Gostou do nosso post? Compartilhe este conteúdo em sua rede social favorita, assim você ajuda outras pessoas a conhecerem mais sobre Big Data e Business Intelligence!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.