As tecnologias para Business Intelligence (BI) hoje são bem acessíveis para empresas de pequeno, médio e grande porte. A importância em se utilizar bem essas ferramentas está em se conseguir grandes vantagens competitivas por meio da obtenção de dados do mercado em que a empresa atua.

Abaixo, separamos 5 dicas para utilizar o BI da sua empresa de uma maneira simples e organizada. Acompanhe.

1. Consolide as ferramentas de BI

Não é necessário gastar uma fortuna com ferramentas de BI. Existe uma gama de opções open source  (ferramentas livres) como, por exemplo, o Pentaho . Essas ferramentas são totalmente customizáveis para atender a demanda da empresa e criar uma base sólida de inteligência competitiva.

Elas são essenciais na compreensão de métricas de BI, por transformar dados transacionais fornecidos por sistemas ERP, CRM ou até mesmo planilhas de Excel em dados dimensionais, ou seja, dados informacionais. Porém, é importante que a ferramenta da sua empresa atenda às necessidades específicas. Se for necessário, contrate uma empresa especializada.

2. Organize a equipe responsável para utilizar o BI

As informações fornecidas pelos sistemas de BI podem envolver produção, vendas, marketing e comunicação, entre outras áreas. Por isso, apesar de todo o processo começar no departamento de TI por conta de softwares e ferramentas, é necessário que todos os setores estejam envolvidos.

Assim, posicione um responsável pela área de BI e envolva os gestores de todas as áreas com reuniões periódicas para decidir informações e métricas. Eles poderão dizer com maior precisão e assertividade quais informações são relevantes para cada departamento na intenção de conseguir uma integração funcional da equipe.

Business Intelligence pede maior envolvimento das áreas para conseguir resultados no nível tático ou estratégico da empresa e, assim, promover mudanças gerais.

3. Aproveite dados que a empresa já possui

Conforme abordado acima, as ferramentas de BI se utilizam de dados de outros sistemas ou até mesmo do Big Data, que se refere ao número infinito de informações disponíveis na internet.

Considere todo o leque disponível de informação que a empresa possui à disposição e opte por aquelas que podem ser mais interessantes do ponto de vista de resultados. Conversando com gestores de todas as áreas, é possível delimitar quais serão as bases de dados a serem utilizadas.

4. Selecione dados relevantes para exportar ao Data Warehouse

Após optar pelas melhores fontes disponíveis na empresa, tenha em mente quais são os principais objetos na implementação do BI. Se a empresa utilizar tudo que tiver como acessível, será capaz de gerar uma grande quantidade de métricas confusas. Por isso, seja assertivo!

O Data Warehouse é uma estrutura bem específica de BI para armazenamento de informação. É nessa estrutura que deverão ser exportados os dados corretos para gerar métricas a serem analisadas e aproveitadas.

5. Proporcione treinamentos para a compreensão dos dados

Além de obter os dados, é interessante que os funcionários sejam bem preparados para analisar métricas fornecidas pelas ferramentas de BI. É de suma importância que saibam interpretá-las para transformar em decisões importantes.

Organize treinamentos com as pessoas responsáveis pela inteligência da empresa. Capacite-as para que consigam interpretar os dados e transformá-los em valiosas mudanças para o crescimento organizacional. Se necessário, opte por terceirizar o serviço a uma empresa especializada no assunto.

Com essas dicas, esperamos que você consiga utilizar o BI da sua empresa da melhor maneira possível. Se quiser saber mais sobre como calcular o retorno do investimento em BI, veja nosso artigo.

Gostou do conteúdo? Então aproveite e compartilhe nas suas redes sociais!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.