Em 2016 o mundo acompanhou atentamente a vitória de Trump nas eleições de um dos países mais poderosos do mundo, os EUA (Estados Unidos da América). Donald Trump já era conhecido mundialmente por ser um empresário de sucesso — e polêmico. Talvez, por isso sua vitória tenha causado tanto “barulho” mundo à fora.

E se você está se perguntando por que estamos falando da vitória de Trump, a resposta é que ela acabou sendo um bom exemplo da aplicação do big data e da ciência de dados nos negócios. Nesse caso, na política. Continue acompanhando para entender melhor.

Vitória de Trump, análise de dados e big data

Você já ouviu falar de psicometria? Esse é um ramo da psicologia que lida com os dados, e uma empresa com sede em Londres, a Cambridge Analytica, atribuiu ao uso desse método a vitória de Trump nas eleições norte-americanas.

As previsões tradicionais dos principais estatísticos dos EUA não apontavam o candidato como vencedor, mas a empresa britânica de marketing político não se importou com isso, e Trump contrariou as estatísticas.

Em linhas gerais, a técnica de psicometria aplicada no caso Trump avaliou a psicologia dos eleitores, com base em cinco traços de personalidade:

  • abertura: que indica o quanto você está para novas experiências;
  • conscienciosidade: traço que demonstra o quão perfeccionista você é;
  • extroversão: indica seu grau de socialização;
  • afabilidade: mostra quão atencioso e cooperativo você é;
  • neuroticidade: demonstra se você se aborrece facilmente ou não.

Com base nessas dimensões são identificadas as necessidades e medos das pessoas, assim como sua tendência de comportamento. Com isso, é possível direcionar ações de marketing, discursos e planos de governo para satisfazer e convencer o público de interesse.

Embora essa técnica tenha surgido na década de 80, foi com o big data e as redes sociais que ela ganhou força. E a vitória de Trump é a prova disso. Por que estamos usando a vitória de Trump como exemplo? Para mostrar a você que a análise de dados precisa estar nas prioridades da sua empresa.

Análise de dados e big data nos negócios

Como uma rede varejista vai identificar quais produtos devem ser oferecidos para determinada região ou nicho de mercado? E como uma distribuidora de alimentos ou bebidas vai analisar padrões para suprir o mercado mais adequadamente?

Por meio do BI (Business Intelligence), que também é uma ferramenta já conhecida no mercado, mas que ganha ainda mais força com o big data.

Agora, o BI traz para as empresas a possibilidade de analisar, além dos dados transacionados pela organização, as informações de seus potenciais clientes em outras plataformas de presença digital, como as redes sociais.

Ao juntar esses dados na plataforma de BI, sua empresa pode contar com dashboards (painéis) intuitivos e personalizados para o seu negócio e analisar informações cruciais para a tomada de decisão. Com a ferramenta certa, você poderá, inclusive, compreender padrões comportamentais e trabalhar com previsões estatísticas muito precisas.

Se você ainda não está usando BI e análise de dados, corra, senão poderá perder as eleições para concorrência.

O que você achou da vitória de Trump e do uso da ciência de dados nas eleições norte-americanas? E sua empresa, já usa análise de dados e BI nos negócios? Deixe seu comentário no blog.

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.