Como catalisadores em reações químicas, o bom relacionamento entre gestores e colaboradores facilita o caminho para a consecução dos objetivos de uma empresa. Essa é uma verdade que não se pode discutir. Porém, para ser possível alcançar resultados verdadeiramente satisfatórios, é preciso saber como engajar a equipe.

Tenha em mente que, por mais felizes que estejam os seus funcionários, pouco poderão contribuir se não estiverem realmente envolvidos com o negócio. Aliás, vale ressaltar que a felicidade no trabalho nem sempre é sinônimo de envolvimento.

De uma forma ou outra, este artigo foi preparado para apresentar as 5 melhores práticas para engajar a sua equipe. Não perca esta leitura em hipótese alguma. Confira!

1. Faça melhores perguntas

De acordo com o empreendedor, autor de best-sellers, filantropo, estrategista de negócio e um dos mais respeitados coaches do planeta Tony Robbins, a qualidade das perguntas é essencial para a efetividade dos colaboradores.

Todo gestor precisa saber fazer boas perguntas, do contrário, dificilmente conseguirá obter o melhor dos seus funcionários. Nesse contexto, pergunte:

  • Você tem a clareza sobre o que é sucesso em sua função?
  • Você está animado com o que faz?
  • O que lhe traz mais satisfação no trabalho?

Essa questão também é importante para que os gestores consigam entender os problemas a partir de diferentes perspectivas. Isso ajuda a reduzir os dramas da equipe.

2. Seja transparente

Seja transparente, não se esqueça disso. Embora possa haver situações em que seja necessário “esconder” algumas informações, jamais faça isso quando elas devem ser repassadas aos colaboradores.

A transparência é essencial, porque favorece o elo de confiança entre você e seus funcionários. Além disso, ela também promove a sintonia do grupo.

Ao ser aberto e honesto, eles terão mais respeito por você e pela empresa. Com isso, a tendência é que eles fiquem mais engajados com os seus objetivos.

3. Saiba ouvir

Neste artigo sobre como engajar a equipe, o “saber ouvir” não poderia ficar de fora das melhores práticas. Se você não der ouvidos às dores e/ou sugestões do seu pessoal, esqueça, engajá-los será uma tarefa quase impossível.

Por isso, peça feedbacks constantes. Essa prática simples dá a entender que você se importa com a opinião dos outros, colaborando, assim, para o engajamento do time.

4. Reconheça os esforços

Tão relevante quanto está o reconhecimento dos esforços. Quando uma tarefa em questão foi bem concluída ou está encaminhando para tal, elogie os envolvidos. Acredite ou não, elogios causam o bem-estar dos colaboradores, fator importante para o ganho de motivação para as futuras atividades.

Para isso, esteja sempre monitorando os trabalhos da equipe. Nesse caso, a aplicação do Business Intelligence será de grande ajuda, pois ele pode gerar engajamento a partir do momento que oferece para os gestores as informações que os deixam cientes acerca do resultado dos seus liderados. Com isso, poderão atuar no sentido de esclarecer dificuldades e auxiliar em certas tarefas.

5. Crie um ambiente de trabalho agradável

Por último, crie um ambiente de trabalho agradável. Nesse sentido, não estamos nos referindo apenas ao espaço físico em si, mas, sim, à sua estrutura organizacional como um todo.

Aqui, a ideia é desenvolver uma cultura que permeie a missão, a visão e os valores da empresa. Proporcione um ambiente proativo e de fácil comunicação, não se esquecendo, é claro, de torná-lo confortável e fazer com que ele desperte a criatividade dos seus funcionários.

Para concluir esta conversa sobre como engajar a equipe, é válido salientar que um time engajado é aquele em que seus integrantes sabem perfeitamente quais são os seus papéis na organização, fazendo fortes contribuições e progredindo continuamente.

Se gostou do que viu, curta e acompanhe a nossa página no Facebook!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.