As ferramentas de Business Intelligence – BI (Inteligência de Negócios) tornaram-se grandes aliadas dos gestores de negócios, pois viabilizaram a consolidação de informações valiosas para suporte do processo decisório. Isso o tornou um processo mais consistente, por passar a se basear em fatos e não somente em intuição.

Quando o assunto é BI, o Pentaho é um dos softwares mais requisitados do mercado, por ser bastante robusto, versátil e funcionar em multiplataforma. Mas o que muitas pessoas desconhecem é que o Pentaho está disponível em duas versões – Enterprise e Community. Destacaremos aqui as principais diferenças entre essas duas versões, ambas de altíssima qualidade.

Diferenças comerciais

O Pentaho Community é um software livre, com código aberto (open source), criado pela Pentaho para ser distribuído gratuitamente no mercado. Suas atualizações são desenvolvidas e testadas, gratuitamente, por uma comunidade de profissionais de diversas especialidades da tecnologia da informação (TI) e seus usuários, que geram contribuições de grande valor e disponibilizam documentação e tutoriais muito bem elaborados.

Para adquiri-lo, a empresa investe somente na instalação, na customização, no treinamento e no suporte dos usuários, já que o software e as licenças de uso são inteiramente gratuitos. Recomenda-se a contratação de uma consultoria técnica especializada para realização da implantação dessa ferramenta.

O Pentaho Enterprise é um software proprietário, desenvolvido pela Pentaho e comercializado mediante assinatura anual, que garante acesso a funcionalidades avançadas, atualização de versões, SLA (Service Level Agreement – Acordo de Nível de Serviço) para suporte técnico e apoio consultivo e portal de conhecimento com documentação avançada.

Para adquiri-lo, é preciso investir na compra do software e das licenças de uso, na instalação, na customização, no treinamento e no suporte dos usuários.

Similaridades e diferenças técnicas do Pentaho Community e do Pentaho Enterprise

O Pentaho Community tem as mesmas funcionalidades do Pentaho Enterprise – funcionamento multiplataforma, integração com diversas bases de dados, geração de consultas e relatórios, data mining (mineração de dados) e criação de painéis de controle. Tudo isso com alto nível de qualidade, segurança e estabilidade – diferindo nas tecnologias e nas linguagens de programação suportadas.

Por exemplo, para fazer painéis de controle (dashboard) no Pentaho Community, existe o recurso dashboard framework, que permite utilizar as linguagens HTML, CSS e JavaScript. Para as consultas on-line, utiliza um servidor OLAP (Online Analytic Process – Processo Analítico On-line) com a tecnologia Jpivot.

Já a versão Pentaho Enterprise tem uma interface web, designada dashboard designer, que permite criar scorecards e painéis de controle Ad hoc, baseados em metadata ou em SQL Query. Nas consultas on-line, utiliza um servidor OLAP com a tecnologia Analyzer.

Qual deles utilizar?

As ferramentas de BI trazem consigo uma mudança de cultura no acompanhamento de indicadores de desempenho empresariais, o que requer um certo tempo (de médio a longo prazo) para customizações, treinamentos de usuários e consolidação dos resultados. Enquanto essa nova cultura se incorpora aos hábitos corriqueiros da empresa, vale a pena optar pela implantação da versão Community do Pentaho, que tem excelente custo-benefício e oferece uma gama de funcionalidades de alto nível, equiparadas às do Pentaho Enterprise.

Tem mais alguma dúvida sobre as versões disponíveis do Pentaho? Deixe seu comentário!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.