Processo informacional proativo, cujo propósito está na condução dos gestores às melhores decisões sob uma visão geral, é assim que pode ser descrita a Inteligência Competitiva (IC).

De forma prática, ela consiste no desenvolvimento de estratégias administrativas e operacionais que tem como objetivo, por exemplo, garantir a antecipação das demandas do mercado, preparando o negócio para as mudanças eventuais não planejadas.

Diante da importância da Inteligência Competitiva para o crescimento de uma marca, elaboramos este artigo para mostrar por que e como aplicá-la na sua empresa.

Continue a leitura e confira!

Por que aplicar a Inteligência Competitiva?

Ao conhecer o seu mercado de maneira mais profunda, incluindo a sua concorrência e os seus consumidores, você obtém as informações necessárias para tomadas de decisões mais seguras e eficazes.

De modo amplo, esse é o motivo pelo qual a Inteligência Competitiva deve ser aplicada. Quando observada como exercício organizacional, não aplicá-la resultará em perdas de oportunidades, fazendo com que os concorrentes que a empregam estejam sempre um passo à frente nesse sentido.

Em resumo, os benefícios em adotá-la incluem:

  • o aumento da competitividade;
  • a ajuda na identificação de novas oportunidades de mercado;
  • o estímulo à inovação;
  • o seu funcionamento como uma ferramenta de revisão estratégica.

Como transformar dados em inteligência?

Para ser possível transformar a massa de dados em informação útil, a Inteligência Competitiva só pode ser aplicada com o auxílio do Big Data. Por quê? Pelo fato de que só por meio de suas ferramentas, você conseguirá estruturar os conhecimentos obtidos, organizando-os e armazenando-os de forma que com respeitem uma sequência lógica.

No que se refere à aplicação da IC em si, é interessante considerar o seu ciclo, o qual é definido em algumas etapas:

  • identificação das necessidades (fase na qual são analisados pontos em que organização pode se beneficiar em relação à Inteligência Competitiva);
  • criação da base de conhecimento (momento no qual é definido “onde” as informações serão buscadas e armazenadas para uso posterior);
  • coleta (processo em que os dados tidos como necessários para as tomadas de decisão são coletados, priorizando-os conforme seus níveis de relevância);
  • análise e produção (etapa de transformação dos informes coletados em inteligência. É nesse estágio que os insights são gerados);
  • disseminação (a parte final, onde os insights concebidos anteriormente são entregues para os tomadores de decisão).

Como aplicar a IC nos negócios?

Finalizado o ciclo, é hora de partir para o próximo passo. Qual? Aquele no qual os gestores, de fato, aplicarão a Inteligência Competitiva. Esse é o momento de:

  • identificar as oportunidades;
  • fazer análises estratégicas;
  • elaborar as ações que parecem as mais eficazes;
  • ter a coragem de arriscar um pouco, no que diz respeito ao modo como as “coisas” são feitas (é assumindo riscos que boa parte das empresas se tornam altamente inteligentes em termos de competição).

​Por fim, é de fundamental importância ter ao seu lado um parceiro de negócio que ofereça soluções em Business Intelligence para se ter inteligência competitiva. Sem isso, seu trabalho será muito mais difícil.

Portanto, entre em contato com Know Solutions e entenda de quais maneiras podemos ajudá-lo!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.