Atualmente, estamos presenciando empresas relativamente novas tomando o lugar de corporações tradicionais. Esse é o caso do Nubank, startup financeira que está dominando o mercado bancário mundial com dezenas de milhares de usuários no mundo. Mas como isso é possível? Bom, saiba que novas metodologias, como o Lean Analytics, permitem aumentar a eficiência e a produtividade com ações relativamente simples.

A partir das informações que o Lean Analytics, recebe dos clientes pelo aplicativo, ela utiliza a ciência dos dados para criar métricas mais precisas para a estratégia administrativa. Com isso, empresas mais jovens conseguiram disputar o mercado com grandes bancos, tendo apenas cerca de 1.000 funcionários. Quer saber mais sobre essa metologia? Acompanhe o texto!

O que é o Lean Analytics?

Todas as metodologias enxutas contam com a mesma filosofia: diminuir a burocracia dos processos para reduzi-los ao essencial, àquilo que realmente importa para o negócio. O Lean Analytics, então, aproveita essa ideia e a aplica no monitoramento da gestão empresarial. Assim, ficou conhecido como a metodologia da “única métrica que importa”.

Portanto, em vez de ficar controlando e acompanhando uma série de indicadores, os gestores escolhem somente um — aquele que resume e representa melhor os objetivos atuais do negócio. Todas as decisões deverão levá-lo em consideração!

Com isso, espera-se que o gestor consiga ter uma visão muito profunda sobre a estratégia da sua empresa, em vez de se preocupar com inúmeros aspectos colaterais. O ideal é que cada setor eleja um indicador principal próprio, que esteja em consonância com toda a empresa. Por exemplo, alguns negócios escolhem como métrica do Lean o crescimento das vendas.

Assim sendo, todos os setores internos deverão escolher uma métrica que ajude a conquistar seu objetivo. O marketing, nesse sentido, pode escolher monitorar a taxa de conversão no e-commerce. Destaca-se que usar o Lean não quer dizer que sua empresa não observará outros indicadores, mas é preciso ter foco somente em um.

Quais os riscos de apostar em métricas ineficazes?

O risco de apostar em métricas ineficazes é muito alto, pois estamos em um mercado extremamente competitivo. Cada erro pode custar caro para o posicionamento do seu negócio, abrindo espaço para a concorrência. Então, você precisa garantir que os seus números traduzem critérios importantes para seu negócio, evitando as chamadas métricas de vaidade. Ou seja, aquelas que são medidas e dão resultados positivos, mas não refletem os seus objetivos.

Como implementar o Lean Analytics em sua empresa?

O primeiro passo para implementar o Lean Analytics na sua empresa será compreender profundamente o significado de uma boa métrica. A seguir, vamos mostrar algumas características importantes:

  • comparativa: a métrica deve permitir uma comparação com os seus concorrentes ou com dados anteriores. Somente assim você poderá entender se suas ações estão trazendo algum benefício para o negócio;
  • facilmente compreendida: qualquer pessoa, independentemente da área de especialização, deverá compreender o significado da métrica;
  • representada em taxas ou proporções: números brutos geralmente não agregam muita informação para quem os está visualizando. Por outro lado, termos percentuais ajudam rapidamente a identificar a evolução de um indicador;
  • facilitadora das mudanças corporativas: quando aplicamos qualquer ação na nossa empresa, precisamos que ela influencie a cultura para otimizar os processos e os resultados.

Quando você utiliza a ciência dos dados para encontrar métricas cada vez mais precisas para o seu negócio, será capaz de revolucionar sua gestão estratégica. Com isso, você poderá encontrar aquele indicador único proposto pelo Lean Analytics e realizar as ações mais precisas para alcançar seus objetivos.

Quer saber mais sobre a importância da gestão de dados e como evitar erros nesse sentido? Então, não deixe de conferir mais um de nossos posts!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.