Engana-se quem pensa que a vida de gestor e/ou empreendedor é fácil. Quando tudo parece caminhar bem, surge um probleminha aqui, uma dificuldade ali e assim por diante. Os desafios das empresas são constantes, porém, mesmo existindo alguns obstáculos, o caminho em direção ao sucesso está livre para todos.

Que o percurso é árduo e tortuoso não se discute, sendo preciso ser realista quanto a isso. No entanto, o que não se pode é ser negativista, pois assim você dificultará o seu trajeto ainda mais.

Entenda que para o crescimento do negócio, é crucial ser positivo e capaz de abraçar as adversidades. Sem isso, vencê-las não será uma tarefa nada simples. De qualquer modo, neste artigo, nós apresentaremos quais são os maiores desafios das empresas e como lidar com eles. Aproveite!

Carga tributária

Por ser uma das mais altas do mundo, a carga tributária no Brasil é uma unanimidade quando o assunto se refere aos desafios das empresas. Para que você tenha uma ideia, um terço de tudo o que é produzidono mercado interno vai para os cofres do governo.

E, já não fosse o bastante ter que se adequar aos elevados valores de tributação, as organizações brasileiras têm de enfrentar uma enorme quantidade de obrigações fiscais e a complexidade do sistema tributário como um todo.

Encargos relacionados à Previdência Social, pagamento de impostos estaduais e municipais e envios de demonstrativos para a Receita Federal, enfim, os tributos envolvidos na atividade empresarial são vários. Por essa razão, para evitar os possíveis problemas quanto a este desafio, é necessário fazer um planejamento tributário e ter um bom contador.

Falta de mão de obra qualificada

A falta de mão de obra qualificada também está entre os maiores desafios das empresas. Sim, encontrar bons profissionais e que realmente tragam algum diferencial para os processos internos (operacionais ou administrativos) não é nada fácil.

Nesse caso, a recomendação geral é proporcionar aos colaboradores a chance de aprimoramento. Investir em treinamentos e capacitações é a alternativa mais comum. Entretanto, não há nada que garanta que uma vez mais qualificados, eles permanecerão na sua equipe, o que torna esse aspecto ainda mais desafiador.

Uso de tecnologias

Outro ponto que merece o seu destaque em relação aos desafios das empresas corresponde ao uso das tecnologias. Aqui, a questão a salientar e que dificulta essa imersão tecnológica é que ainda estamos engatinhando em termos de estruturação.

Um exemplo claro disso é que, enquanto o Big Data, a Internet das coisas (IoT) e o Business Intelligence já se tornaram uma realidade no ambiente corporativo dos países europeus e da América do Norte, no Brasil, esses conceitos ainda são vistos como tendências.

O obstáculo, nesse sentido, é fazer com que essas aplicações se transformem em uma obrigação dentro das companhias. Embora parte dos gestores já esteja ciente do quão importante são essas tecnologias, o desafio encontrado é o de superar as barreiras tecnológicas impostas pela própria cultura da organização.

Para lidar com esse problema, a dica é simples: mente 100% aberta ao uso das tecnologias, se dando ao direito de testá-las sem restrições.

Por fim, cabe ressaltar que os desafios das empresas não param por aí. A alta competitividade, o acesso ao crédito e a gestão financeira e de pessoas também estão inseridas nesse contexto.

O que achou deste artigo? Gostou? Se quiser receber os melhores conteúdos diretamente em seu e-mail, assine a nossa newsletter!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.