Essencial para garantir a credibilidade e a transparência dos dados no que diz respeito aos processos do negócio, essa é a governança de TI, cujo objetivo é possibilitar que as organizações mantenham o bom funcionamento das suas atividades e alcancem os melhores resultados possíveis.

Diante dos avanços da informática e das tecnologias da informação, sua implementação é cada vez mais importante para o sucesso de uma empresa.

Neste post, apresentaremos tudo o que você precisa saber para entender o que é governança de TI. A leitura é interessante e merece toda a sua atenção. Confira!

Então, o que é governança de TI?

Para começar, vamos a uma descrição mais exata. Essencialmente, a governança de TI se refere a um conjunto de práticas, padrões e relacionamentos estruturados, cuja manifestação envolve todos os usuários de TI de uma empresa (executivos, técnicos, gestores e usuários em geral).

Suas finalidades são diversas, como:

  • otimizar os processos de segurança;
  • diminuir os riscos;
  • garantir a efetividade dos controles;
  • reduzir os custos;
  • melhorar a aplicação dos recursos;
  • contribuir para melhores decisões;
  • alinhar o setor de TI aos objetivos do negócio;
  • ampliar o desempenho organizacional.​

Como funciona?

O funcionamento da governança de TI é baseado em uma estrutura de métodos, normas e políticas, visando facilitar o dia a dia das empresas e trazer o máximo de eficácia para o planejamento, a coordenação e os controles de utilização no que diz respeito às tecnologias da informação.

Quais são os seus benefícios?

Visto o que é e como funciona a governança de TI, mostraremos agora quais são os seus benefícios.

Maior segurança de dados

Indiscutivelmente, uma de suas vantagens mais significativas, resultado do seu “modus operandi”, o aumento da segurança dos dados é uma consequência natural do conjunto de regras, padrões e responsabilidades que estão envolvidas na sua aplicação. Isso traz confiabilidade, qualidade e integridade para as informações.

Redução de custos

A redução de custos também merece o seu destaque. Por promover um uso de dados mais eficiente, a governança de TI possibilita a otimização da produtividade e a diminuição dos desperdícios, colaborando consideravelmente para o equilíbrio das contas.

Melhor gestão de riscos

Outro ponto a salientar é a mitigação das ameaças. Entenda que a governança de TI aumenta a capacidade da organização de cumprir com os deveres e as obrigações internas e governamentais, motivo pelo qual a gestão de riscos é otimizada.

Como implementá-la?

Antes de concluirmos, falaremos um pouco sobre a sua implementação. A primeira observação é que ela não ocorre da noite para o dia. A segunda é que dá muito trabalho, porém, nada tão complexo ao ponto de ser impraticável.

Implementar uma governança de TI exige ações de curto, médio e longo prazo: à medida que são realizadas, elas vão construindo e aprimorando os processos. Por último, saiba que existem alicerces que servem como apoio para a sua execução. Os mais conhecidos são:

Seja qual for o caminho, optando ou não por algum desses modelos, o mais importante para a implementação da governança de TI está na avaliação dos interesses e das demandas da empresa.

Gostou do post? Então, não deixe de conferir as também as 4 principais tendências em ciência de dados!

Leandro Guimarães
Leandro Guimarães é o fundador da Know Solutions e trabalha com Business Intelligence desde 2009. Possui amplo conhecimento em Modelagem Dimensional, Data Warehouse e na plataforma Pentaho.

Foi aluno de Ralph Kimball, maior referência mundial no assunto, no curso de Modelagem Dimensional realizado pela Kimball University, em Estocolmo – Suécia.

Já ministrou diversas palestras sobre o tema e atualmente mantêm o blog da Know Solutions, com referências sobre Business Intelligence.

Pós Graduado em Gestão de Projetos de Software pela PUC – Paraná. Trabalhou durante 7 anos na empresa Siemens onde participou de projetos em diferentes países.